Ir para o Conteúdo
  • aplique contraste

Exposições Temporárias

Escolha o ano

JUNHO: TRADIÇÃO E DEVOÇÃO16/06/2022 a 31/07/2022

JUNHO: TRADIÇÃO E DEVOÇÃO

Junho é um mês em que ocorrem festividades populares em todas as regiões do Brasil. São as festas juninas! É um período de manifestações culturais expressadas de várias formas, sobretudo na culinária, música, vestimenta, dança e religiosidade. Três santos populares são celebrados no mês junino: Santo Antônio, São João e São Pedro. A origem das festas juninas no Brasil remonta ao século XVI. Elas eram comemorações populares na Península Ibérica (Portugal e Espanha) e foram trazidas para o nosso país pelos portugueses durante o período de colonização. No início, as festas juninas tinham uma conotação muito mais religiosa, mas isso foi diminuindo com o tempo e elas foram sendo mais associadas a festejos populares e uma exaltação das raízes caipiras.

A exposição “Junho: tradição e devoção” apresenta as esculturas religiosas de Santo Antônio, São João e São Pedro – padroeiro da cidade de Tupã. Essas esculturas representam as tradições religiosas e a crença, que estão intimamente ligadas com a origem das comemorações juninas no país. A mostra traz para o visitante uma parte da cultura tradição brasileira que se expressa na fé e nos festejos juninos.

Exposição temporária “José Lanzellotti, Olhar de um artista”21/12/2021 a 01/10/2022

Exposição temporária “José Lanzellotti, Olhar de um artista”

O Museu Índia Vanuíre abriu para o público a exposição temporária “José Lanzellotti, Olhar de um artista”, uma pequena mostra de um conjunto de 120 pranchas integrantes ao acervo da instituição.

Entre as peculiaridades retratadas nos desenhos do artista, destacam-se as pinturas corporais e adornos, como os Bororo, Karajá, Kamayurá, Kayapó, Kaxinawá, Moré e Witoto.

A coleção de ilustrações de José Lanzellotti foi adquirida pelo Conselho Estadual da Cultura, em 1972, e valoriza a diversidade cultural indígena do Brasil, testemunhando a genialidade do artista e permitindo ao público conhecer aspectos culturais dos povos indígenas.

Tupã pelos Olhos de seus Artistas11/10/2021 à 31/10/2021

Tupã pelos Olhos de seus Artistas

Para celebrar os 92 anos de Tupã, fundada em 12 de outubro de 1929, o Museu Índia Vanuíre realiza a exposição Tupã pelos Olhos de seus Artistas, que contempla obras em óleo sobre tela, pintadas por 21 artistas plásticos locais, onde cada um mostra sua expressão, sensibilidade e múltiplos olhares, retratando cenas da cidade na arte da pintura.

Ató Jagí Burum Krenak – Tecendo Saberes do Povo KrenakPeríodo: de junho/2018 a novembro/2021

Ató Jagí Burum Krenak – Tecendo Saberes do Povo Krenak

O povo Krenak da T.I. Vanuíre vem trabalhando há duas décadas com a revitalização de sua cultura, costume e língua materna, de forma construtiva. Na mostra, são exibidos em vitrines, painéis, vídeos e fotos o processo de produção de 28 objetos confeccionados especialmente para a ocasião.

Exposição: Línguas Indígenas – Riqueza e DiversidadePeríodo: de setembro/2019 a dezembro/2019

Exposição: Línguas Indígenas – Riqueza e Diversidade

A diversidade linguística tem se tornado um importante patrimônio cultural do Brasil e do mundo. A questão da preservação das línguas indígenas deve ser tratada, nas instituições museológicas que atuam junto aos povos, como algo essencial dentro dos processos desenvolvidos por elas. Os equipamentos, além da função de preservação, aparecem como espaços de difusão e propagação dessa língua e autoafirmação dos povos. Nesse sentido, o Museu Índia Vanuíre apresenta um panorama com a diversidade dos idiomas existentes no Brasil.

Fortalecimento da Memória Tradicional Kaingang: de Geração em GeraçãoPeríodo: de janeiro a junho/2018

Fortalecimento da Memória Tradicional Kaingang: de Geração em Geração

A exposição é uma autonarrativa com o intuito de promover a tradição, o processo e as técnicas de confecção da cerâmica Kaingang, valorizando o conhecimento e os fazeres dos indígenas mais velhos e sábios. Todos esses aspectos, materiais e imateriais, foram apresentados ao público através de uma mostra bilíngue (Kaingang e português) que conta com objetos, imagens fotográficas e vídeo.

O Café e a História de TupãPeríodo: de janeiro a março/2018

O Café e a História de Tupã

Tupã, localizada no espigão do Rio do Peixe e Aguapeí, possuía terras férteis, boas para cafeicultura e isso atraiu imigrantes para iniciarem suas vidas. A exposição temporária “O Café e a História de Tupã” apresenta ao público informações e registros fotográficos dos primeiros sítios de café e da chegada dos imigrantes que, à medida que a cidade se desenvolvia economicamente, se estabeleceram no comércio local, auxiliando no crescimento da cidade.

Mãos que CriamPeríodo: de janeiro a março/2018

Mãos que Criam

A exposição consiste na apresentação de artesanatos confeccionados no decorrer do ano de 2017 pelos participantes dos projetos inclusivos, são eles: grupo de cegos do projeto “O Olhar é o Sentir Pelas Mãos”, grupo da terceira idade do “Aguçando as Memórias” e pelos participantes do projeto “Museu e Cidadania”.

Mãos que CriamPeríodo: de novembro a dezembro/2017

Mãos que Criam

A exposição consiste na apresentação de artesanatos confeccionados no decorrer do ano de 2017 pelos participantes dos projetos inclusivos, são eles: grupo de cegos do projeto “O Olhar é o Sentir Pelas Mãos”, grupo da terceira idade do “Aguçando as Memórias” e pelos participantes do projeto “Museu e Cidadania”.

régua de logos, com a logo da acam portinari, museu índia vanuíre e governo do estado de são paulo

Todos os direitos reservados. © Museu Índia Vanuíre 2020.
string(0) ""