• aplique contraste

Levantamento de informações para a exposição temporária “José Lanzellotti, Olhar de um Artista”

Publicado em: 1 de março de 2022

O Museu Índia Vanuíre inaugurou em 21 de dezembro de 2021 a exposição temporária “José Lanzelotti, Olhar de um Artista”, em um recorte de 120 pranchas que retratam diversos povos indígenas, peças que fazem parte do acervo do Museu. Ao todo, estão expostas 28 ilustrações que mostram a diversidade cultural indígena, revelando o olhar especial que o artista teve na hora de representar os mais diversos aspectos de cada povo.

Para que essa exposição chegasse ao público, foram realizadas diversas etapas, tendo como ponto de partida a pesquisa, por meio de levantamentos de informações sobre a coleção e a vida de Lanzelotti. Dados atuais sobre os povos indígenas retratados, viagens realizadas pelo artista que influenciaram as obras, estilo escolhido para a representação dos povos indígenas: tudo deve ser levado em consideração na hora da elaboração das informações disponibilizadas para o público.

A pesquisa permite a produção de informações intrínsecas e extrínsecas, traça novos usos e significados ao objeto museológico. Define os contextos culturais e históricos da existência do objeto. A pesquisa pode valer-se de fontes bibliográficas, documentais e de campo (POLÍTICA DE ACERVO, 2017, p. 25).

 As informações sobre os povos indígenas retratados foram obtidas em documentos internos da instituição e, também, em livros dedicados a alguns povos, além de sites de organizações, como o Instituto Socioambiental. Na documentação interna há papéis com descritivos das obras. Já em livros e sites especializados foi possível obter informações acerca da história e atualidade de cada povo que seria representado na exposição.

Compreender a vida do artista foi importante para vislumbrar o contexto em que as ilustrações foram criadas, além das intenções dele ao retratar os indígenas em seus trabalhos. Lanzellotti participou da Expedição Roncador-Xingu, em 1949 e, posteriormente, viajou pelo país buscando representar as diversas culturas (indígenas ou não). Sua arte buscava ser fiel à realidade que pretendia representar, sendo bem detalhada.

Outro ponto relevante para a elaboração do conteúdo da exposição foi trazer o olhar dos indígenas sobre os viajantes que representaram os povos indígenas do Brasil em seus trabalhos, com foco nas obras de Lanzellotti. Trazer a opinião dos indígenas nas ações e projetos do Museu é imprescindível, pois a instituição trabalha dialogando com os povos indígenas da região, buscando fortalecer as relações entre o Museu e as terras indígenas, bem como aproximar o público visitante da realidade e perspectiva dos que aqui são representados.

Assim, o Museu contatou alguns indígenas para saber a opinião deles com relação às obras do artista. Em seus depoimentos pode-se perceber a importância que o trabalho de Lanzelotti tem ao fazer a representação da diversidade cultural indígena. Abaixo, seguem trechos dos depoimentos de Rayane Barbosa (Kaingang) e Tiago Oliveira (Guarani-Nhandewa).

(…) é um dos artistas que eu gosto muito, porque ele vem trazendo a realidade dentro das culturas indígenas, nos ajudando a fortalecer e mostrar pra essa sociedade que ainda tem o olhar genérico perante os povos indígenas (…) (BARBOSA, R., 2021).

(…) um artista plástico que fez um registro muito importante dos povos indígenas em diferentes momentos do cotidiano, registrando através de pinturas corporais, adornos e técnicas artesanais, além de destacar um importante mapa etnográfico com algumas etnias do Brasil, por exemplo, Bororo, Kayapó, Kamayurá (OLIVEIRA, T., 2021).

Considerando o olhar dos indígenas, as informações levantadas sobre as pranchas e o conceito que o Museu gostaria de representar na exposição, foram selecionadas para compor a exposição 28 pranchas que pudessem mostrar a grande diversidade de povos trabalhada pelo artista. O resultado final foi uma exposição com um recorte da coleção de José Lanzelloti, mostrando a diversidade de povos indígenas e o olhar destes perante as obras do artista.

REFERÊNCIAS

MUSEU HISTÓRICO E PEDAGÓGICO ÍNDIA VANUÍRE. José Lanzellotti, Olhar de um Artista. Tupã, SP: ACAM Portinari, 2021.

MUSEU HISTÓRICO E PEDAGÓGICO ÍNDIA VANUÍRE. Plano Museológico. Brodowski: ACAM Portinari, 2018.

regua-de-logos-museu-india-vanuire-governo-sp

Todos os direitos reservados. © Museu Índia Vanuíre 2020.