Caso não esteja visualizando, veja aqui.

O Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, Museu Índia Vanuíre e ACAM Portinari, informam:

Boletim 26
Tupã | Junho | 2021

EXPOSIÇÕES VIRTUAIS DO MUSEU ÍNDIA VANUÍRE

boletim-001

“[…] a exposição apresenta-se atualmente como uma das principais funções do museu que, segundo a última definição do ICOM, “adquire, conserva, estuda, expões e transmite o patrimônio material e imaterial da humanidade”

(CONCEITOS-CHAVE DE MUSEOLOGIA, 2013, p. 43)

A definição de Exposição, segundo a publicação Conceitos-Chave de Museologia (2013) é, “[…] o resultado da ação de expor, quanto o conjunto daquilo que é exposto e o lugar onde se expõe”.

O Museu Índia Vanuíre apresenta uma exposição de longa duração intitulada “Tupã Plural”, que visa destacar o município como um lugar de diversas culturas.

[…] com objetos da coleção etnográfica e da histórica e tratamento dos temas diversidade cultural, ocupação de território, conflito e convivência. Grupos indígenas Kaingang e Krenak participaram na realização dessa exposição, decidindo como seriam representados e produzindo artefatos e depoimentos para exibição em vídeo (PLANO MUSEOLÓGICO, 2018, p. 30).

Ressalta-se que desde o ano de 2013, o Museu apresenta ao público exposições virtuais, nesse sentido, destaca-se a última exposição virtual intitulada: “Ancestralidade, Cultura e Tradições em Tempos de Pandemia”.

A mostra convida o público a conhecer os modos de viver, saber e cuidar dos povos Kaingang, Krenak, Terena e Guarani Nhandewa, habitantes das Terras Indígenas Vanuíre, Icatu e Araribá, todas localizadas no oeste paulista, bem como as expressões de suas culturas na contemporaneidade.

A proposta para a realização da exposição virtual reforça a missão do Museu de:

[…] preservar, pesquisar, valorizar e comunicar patrimônio etnográfico indígena, em especial o legado de povos do oeste paulista, e promover a reflexão crítica sobre valores humanos e cidadania considerando diferentes culturas e interações entre diversos grupos da sociedade (PLANO MUSEOLÓGICO, 2018, p. 12).

A exposição está dividida em três módulos os quais poderão ser abordados vários aspectos culturais.

No módulo “Conexão Ancestral: Tradição em dois territórios” destaca-se a conexão intercultural dos Krenak, sendo imprescindível para manter a cultura viva. Assim, eles recorrem à ancestralidade e, também, à tecnologia neste momento em que o distanciamento social se faz necessário. A mostra apresenta a cultura do povo Krenak que vive afastado do seu território de origem. Os Krenak da Terra Indígena Vanuíre (SP) vieram, no século XX, da Terra Indígena Krenak (Resplendor-MG) para se estabelecerem no oeste paulista. Apesar da distância, o contato entre o povo dessas duas terras indígenas ainda é forte. Trata-se de uma exposição com fotos e vídeos de depoimentos, relatos e reflexões sobre como esse povo mantém a conexão ancestral e cultural apesar da distância.

No módulo “Mulheres na cultura Kaingang Lutas e Resistências”, destaca-se a importância das mulheres indígenas que desempenham, historicamente, um papel fundamental na luta e fortalecimento das culturas por meio da transmissão dos saberes e fazeres às novas gerações. No entanto, ainda encontram diversos desafios. A exposição traz relatos e reflexões sobre as trajetórias das Kaingang como mulheres, indígenas e líderes, e as lutas enfrentadas em razão de serem resistências.

Já o módulo “Terras Indígenas na pandemia – Existência na Resistência” oferece voz aos indígenas do oeste de São Paulo retratando os desafios, as lutas, a própria existência e resistência neste momento atípico que o mundo vivencia. Por meio de fotos e vídeos, a exposição revela os impactos, consequências e desafios nas Terras Indígenas Vanuíre, Icatu e Araribá, e como tem sido resistir e garantir suas existências, mantendo ativas suas culturas e tradições, suas essências enquanto indígenas.

Nesse sentido, convidamos vocês, professores e interessados nas temáticas abordadas, a conhecerem essa e as demais exposições virtuais do Museu Índia Vanuíre, sendo mais um recurso pedagógico a ser apresentado aos seus alunos, em que a diversidade cultural se faz presente de uma maneira que possam compreender que há vários povos indígenas, com saberes e fazeres específicos, porém todos na mesma luta a de manterem suas culturas vivas.

Para acesso às exposições virtuais: https://museuindiavanuire.org.br/exposicao-virtual/

Sobre a exposição citada no boletim: https://museuindiavanuire.org.br/ancestralidade-cultura-e-tradicoes-em-tempos-de-pandemia/

Cabe ressaltar que o Museu Índia Vanuíre disponibiliza em seu site e redes sociais, diversas ações voltadas para o público virtual https://www.museuindiavanuire.org.br/

Para realizar a visita virtual e conhecer o conteúdo institucional, o Museu convida vocês a fazerem uma visita virtual acessando o link: https://www.museuindiavanuire.org.br/visita-virtual/

REFERÊNCIAS

DESVALLÉES, André; MAIRESSE, François; SOARES, Bruno Brulon; CURY, Marília Xavier. Conceitos-chave de Museologia. [S.l: s.n.], 2013.

MUSEU ÍNDIA VANUÍRE. Exposições virtuais.  Disponível em: https://museuindiavanuire.org.br/exposicao-virtual/ Acesso em: 08 mar. 2021.

MUSEU HISTÓRICO E PEDAGÓGICO ÍNDIA VANUÍRE. Plano Educativo. Brodowski. ACAM Portinari. SEC. 2019.

MUSEU HISTÓRICO E PEDAGÓGICO ÍNDIA VANUÍRE. Plano Museológico. Brodowski. ACAM Portinari. SEC. 2018.

Venha conhecer, participar, compartilhar dos nossos projetos e atividades.