Caso não esteja visualizando, veja aqui.

O Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, Museu Índia Vanuíre e ACAM Portinari, informam:

Boletim 25
Tupã | Março | 2021

AÇÕES EDUCATIVAS DO MUSEU ÍNDIA VANUÍRE EM TEMPO DE PANDEMIA

Para os saberes que margeiam essa terra e sopram ar, hálito e palavras de força para afugentar o espectro colonial, vida e morte transbordam os limites de uma compressão meramente fisiológica para se inscrever em outras dimensões.”

(SIMAS; RUFINO, 2020, p. 01)

O Núcleo de Educação do Museu Índia Vanuíre busca, por meio de projetos e ações, ampliar a relação entre o Museu e seus públicos. Promovendo a qualidade da experiência no contato com os conteúdos e acervos, a partir das coleções e temas correlatos à instituição museológica, em diálogo com as demais equipes, visto que toda atividade educativa se vincula a outros setores do Museu, pelo entendimento que não existem ações sem o envolvimento de todos os profissionais da instituição.

Essa experiência se relaciona à missão institucional:

O Museu Histórico e Pedagógico Índia Vanuíre tem como missão preservar, valorizar e difundir patrimônio histórico e patrimônio etnográfico indígena, em especial o legado das culturas que ocupam o oeste paulista, e promover a reflexão crítica sobre valores humanos e cidadania levando em conta diferentes culturas e interações entre diversos grupos da sociedade. (PLANO MUSEOLÓGICO, 2018, p. 10).

O núcleo é composto por seis educadores que possuem formação interdisciplinar. Essa característica enriquece o trabalho realizado pela instituição, pois abarca a pluralidade de olhares para ações destinadas aos mais diversos públicos. De acordo com o Plano Museológico (2018), atividades educativas e exposições são diferentes meios para o alcance de uma das finalidades centrais dos museus: a difusão de acervo museológico e o cumprimento da missão institucional.

A equipe busca continuamente se reinventar, e no momento vivenciado pela pandemia da Covid-19 não foi diferente. Nesse sentido, apresentaremos algumas experiências realizadas, nesse período considerado atípico, que contemplaram os diversos perfis de público, sempre alinhadas a uma rica programação cultural.

O Museu manteve uma programação on-line em que várias atividades virtuais foram produzidas com o intuito de estabelecer, por meio das plataformas digitais, canais de diálogo com os diversos públicos, comunidade e parceiros. Antes voltadas ao presencial, nessa atual circunstância, as práticas puderam ser acessadas por mais pessoas nas mídias sociais da instituição, proporcionando mais comunicação dos conteúdos, buscando estratégias que tornassem o Museu mais acessível e democrático. Cabe ressaltar que, para esse momento, a equipe intensificou as pesquisas e os estudos para elaboração das programações. Para permanecermos próximos aos nossos parceiros, visamos o diálogo, amenizando, assim, os sentimentos provocados pelo distanciamento social, além de fortalecer o vínculo. Para tanto, a equipe iniciou a realização de encontros através de mensagens em grupos de mídia social e/ou por chamadas de vídeo. Tais ações e encontros são significativos e buscam promover uma conexão de

afeto entre os participantes e a equipe. Cabe ressaltar que o feedback está sendo muito positivo, pois nos relatos observa-se o quão agradecidos estão, já que as dinâmicas virtuais amenizam a saudade e estreitam os laços.

Apesar de o Museu ter sido reaberto à visitação pública em 3 de outubro de 2020, seguindo as recomendações do Plano São Paulo, do Governo do Estado, Ministério da Saúde e Organização Mundial da Saúde, as ações presenciais continuam suspensas, porém a instituição segue desempenhando sua função social por meio das mídias sociais. Conforme apontado no Plano Nacional de Educação em Museus (2018), Araújo destaca que o amadurecimento dos museus e a crescente conscientização acerca da importância de sua função social têm se traduzido na valorização de sua natureza educativa.

A equipe amadureceu muito durante esse período. O que primeiramente foi visto como um desafio se tornou, agora, parte da rotina, visto que muitas atividades estão sendo desenvolvidas especialmente para o público virtual. Vale enfatizar que muitas habilidades foram descobertas ao mesmo tempo em que a equipe enfrentava “fantasmas” no desenvolvimento do trabalho.  

O Museu é um espaço de potencialidades múltiplas. Pode-se considerar que diante do vivenciado, os equipamentos culturais estão cada vez mais atuais na vida dos seus públicos. O contexto ocasionou inúmeros desafios e incertezas, porém, trouxe muitas conexões e oportunidades.

O Museu Índia Vanuíre disponibiliza em seu site e mídias sociais, diversas ações voltadas para o público virtual https://www.museuindiavanuire.org.br/

Para realizar a visita virtual e conhecer o conteúdo institucional, o Museu convida vocês a acessarem o link: https://www.museuindiavanuire.org.br/visita-virtual/

REFERÊNCIAS

IBRAM. Caderno de Política Nacional de Educação Museal. Ibram: Brasília, DF. 2018.

MUSEU HISTÓRICO E PEDAGÓGICO ÍNDIA VANUÍRE. Visita virtual.  Disponível em: https://museuindiavanuire.org.br/visite-o-museu/visita-virtual/. Acesso em: 13 dez. 2020.

MUSEU HISTÓRICO E PEDAGÓGICO ÍNDIA VANUÍRE. Plano Educativo. Brodowski. ACAM Portinari. SEC. 2019.

MUSEU HISTÓRICO E PEDAGÓGICO ÍNDIA VANUÍRE. Plano Museológico. Brodowski. ACAM Portinari. SEC. 2018.

SIMAS, L. A.; RUFINO L. Encantamento: sobre política de vida. E-book. Disponível em: https://www.amazon.com.br/dp/B088GV4W7J/ref=rdr_kindle_ext_tmb. Acesso em: 05 jan. 2020.

Venha conhecer, participar, compartilhar dos nossos projetos e atividades.